A Alma é ilimitada

Respeitamos as convicções de cada pessoa, trazendo sua cultura para as decisões de tratamento.

A maior parte das pessoas tem crenças relacionadas ao transcendente e estas se expressam na forma de religiosidade e espiritualidade. O valor dessas crenças espirituais é tão importante a ponto de afetar as decisões sobre tratamentos e cuidados com a saúde, bem como a maneira de encarar o fim da vida. Os bons médicos devem levar isso em conta se quiserem dar ao seu paciente um atendimento realmente acolhedor e confortador.

Quando atende um cliente, o médico deve colocar suas próprias crenças em suspenso, abrindo-se para enxergar o mundo do paciente como ele é e respeitando os valores de cada um. É conveniente que pergunte se o paciente tem alguma filiação espiritual ou religiosa, a importância disso em sua vida, se há uma comunidade que o apoia nos momentos difíceis e quais ações ele gostaria que fossem tomadas com base em sua religiosidade.

Muitas pessoas solicitam a assistência espiritual de seu pastor, padre, pai de santo, guru ou qualquer outra denominação que tenha o sacerdote ou sacerdotisa que lhe aconselhe e acompanha espiritualmente. É justo que o médico favoreça esse serviço de capelaniaa aos pacientes internados e não se sinta diminuído em seu papel, como se o lado biológico estivesse sendo desconsiderado.

Quem cuida de pessoas adoentadas, como os profissionais da saúde, vivencia um pouco da dor, do sofrimento e da perda de seus pacientes e familiares. A morte nos visita com mais frequencia e nos acostumamos com sua presença, mas não podemos nos tornar insensíveis a ela. O médico de ter compaixão suficiente para escutar e se emocionar com a história das vidas que lhes são confiadas.

A medicina é uma magnífica ciência. Curar é uma nobre arte. Confortar é nosso dever sempre.

Back to top